half banner
Notícias
feed   Você está em: Notícias de Saúde
A+ | a-
Brasília
Novembro azul: Por que os homens têm tanta vergonha?
Publicado em: 23/11/2021 pela equipe do Brasília Web

Novembro azul: Por que os homens têm tanta vergonha?

O artigo da Jaqueline Chagas, fundadora do Instituto Unidas para Sempre, que dá suporte e apoio ao paciente com câncer e outras patologias, fala sobre o novembro azul.

   

Jaqueline Chagas, paciente de câncer e fundadora do Instituto "Unidas para Sempre"*

Não é de hoje que os homens têm fama de serem relaxados quando o assunto é cuidar da saúde. De acordo com pesquisas, 60% dos homens no Brasil só vão ao médico após sentirem algum sintoma insuportável. A campanha novembro azul é uma oportunidade para conscientizar sobre a importância e necessidade de que se olhe para a saúde do homem. É valido ressaltar que a campanha no início era um alerta sobre o câncer de próstata. Atualmente, desperta atenção à saúde integral dos homens e prevenção dos cânceres de pênis, próstata e boca.

O público masculino responde ao câncer de forma totalmente diferente das mulheres. Vejo isso através do Instituto Unidas Para Sempre. Passamos a receber e atender homens, pois, infelizmente, é mais difícil achar grupos de apoio quando o assunto é câncer. Para eles, é mais complicado se abrir, conversar e dividir com os outros sobre o momento que está passando. Não podemos esquecer que muitas vezes o câncer masculino é um tabu. Ainda existe preconceito.

Os homens têm mais dificuldade e demoram mais para aceitar o diagnóstico e fazer os exames. A dificuldade deles para se expor pode atrasar um possível diagnóstico. A resistência masculina ainda é muito grande. Além disso, o machismo faz o homem parecer como se nada pudesse acontecer ou como se nunca pudesse ficar doente. Por esse motivo, a família tem papel fundamental e deve ser o apoio para que esse paciente siga com o tratamento. Apesar de parecer mais forte, o homem precisa do mesmo apoio que as mulheres ao descobrir um tumor.

Além do câncer de próstata, boca e pênis, vale lembrar que o homem também tem outros tipos de câncer. O câncer de mama é um exemplo. É raro, atinge somente 1%, mas é muito importante que eles também tenham o hábito de se tocar e olhar com carinho para seus corpos.

No caso do câncer de mama, pela falta de toque, a maioria descobre já em estágio avançado. É muito importante que o homem se cuide e busque ajuda médica e apoio em grupos, caso tenham alguma desconfiança. Homens, tenham mais autocuidado e menos vergonha. Afinal, o mais importante é ter saúde e para estar junto de quem se ama.

(*) Contabilista, paciente de câncer e fundadora do Instituto Unidas para Sempre, que tem como objetivo dar suporte e apoio ao paciente com câncer e outras patologias.

Em 23/11/2021
Fonte: Joyce Nogueira - Drumond Assessoria de Comunicação


super banner
Leia mais sobre: Notícias de Saúde

1143 Registros: - Exibindo 1 de 164 - Primeiro - Anterior  - |  1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14 | 15 | 16 | 17 | 18 | 19 | 20 | 21 | 22 | 23 | 24 | 25 | 26 | 27 | 28 | 29 | 30 | 31 | 32 | 33 | 34 | 35 | 36 | 37 | 38 | 39 | 40 | 41 | 42 | 43 | 44 | 45 | 46 | 47 | 48 | 49 | 50 | 51 | 52 | 53 | 54 | 55 | 56 | 57 | 58 | 59 | 60 | 61 | 62 | 63 | 64 | 65 | 66 | 67 | 68 | 69 | 70 | 71 | 72 | 73 | 74 | 75 | 76 | 77 | 78 | 79 | 80 | 81 | 82 | 83 | 84 | 85 | 86 | 87 | 88 | 89 | 90 | 91 | 92 | 93 | 94 | 95 | 96 | 97 | 98 | 99 | 100 | 101 | 102 | 103 | 104 | 105 | 106 | 107 | 108 | 109 | 110 | 111 | 112 | 113 | 114 | 115 | 116 | 117 | 118 | 119 | 120 | 121 | 122 | 123 | 124 | 125 | 126 | 127 | 128 | 129 | 130 | 131 | 132 | 133 | 134 | 135 | 136 | 137 | 138 | 139 | 140 | 141 | 142 | 143 | 144 | 145 | 146 | 147 | 148 | 149 | 150 | 151 | 152 | 153 | 154 | 155 | 156 | 157 | 158 | 159 | 160 | 161 | 162 | 163 | 164 |  -  Seguinte - Final

Desenvolvido por: Logo PortalBSB © 2000/2022 - Portal BSB Soluções em Internet | Certificado de Acessibilidade validado pela W3C na modalidade máxima WAI-AAAA e WCAG 1.0 | Certificado de Acessibilidade do código CSS validado pela W3C | Certificado de Acessibilidade validado pelo Acesso Brasil